08 maio, 2010

Lápis ou caneta

Hoje estava fazendo umas listas e me lembrei de uma professora, a Dona Eliza, porque eu gosto de escrever a lápis - ou lapiseira, whatever - e essa professora dizia que isto era sinal de insegurança, medo de errar, porque o lápis pode ser apagado.

As pessoas perdem tanto tempo analisando as entrelinhas que esquecem de olhar para o que realmente somos, né não?!

Ela era minha professora de ciências da sexta série e eu era uma ótiam aluna. Que diferença fazia se eu escrevesse com lápis, caneta, pena ou sangue? E pra quê raios lançar uma frase da qual eu me lembro - e de maneira negativa - toda vez que resolvo escrever algo à lápis por achar este meio mais macio e confortável? Sem contar que dificilmente eu uso uma borracha e sim rabisco as palavras como se usasse caneta.

Com isso eu só posso crer que "segundo Freud" a pessoa segura de suas opiniões não digita um texto e sim datilografa para a posteridade?

Alguns formadores de opiniões deveriam passar por testes periódicos para não correr o risco de estragar crianças no meio do caminho!!!

E aposto que se hoje Dona Eliza visse meus lápis lindos com ponteira de flor não diria tamanha bobagem!!!

Um comentário:

Keyty disse...

Adorei a ponteira!!!
pode me explicar como foi feita?
lindo demais!!!
bjs

Keyty