29 janeiro, 2007

Feriado Chuva e Cineminha

Tem umas coisas que só acontecem comigo, não é possível. Passei um ano inteiro indo ao cinema pingado, assistindo a filmes apenas na TV e sem comer a deliciosa pipoca com litros de manteiga derretida. Então uma das resoluções de ano novo era "ir mais ao cinema". E estou levando à sério isso! No feriado do dia 25 fui ao Kinoplex do Itaim pagar um milhão de reais no ingresso para assistir "Babel", do diretor mexicano Alejandro González-Iñárritu - aquele de "21 gramas" que eu A-DO-REI e Renato DOR-MIU... Cretino!

Enfim... pegamos aquela sessão das 11 e pouco da noite, sem molecada e totalmente tranquila. Parecia o plano perfeito não fosse o projetor dar pau antes mesmo de iniciar o filme - se bem que, se eu tivesse visto um tequinho e não pudesse continuar ficaria mais brava ainda.

Aí entrou o gerente da budega e explica que nós, pobres azarados, poderíamos assistir o filme da sala da frente, "Déjà Vu", ou poderíamor trocar nossos ingressos para voltar outro dia. maridão e eu optamos por voltar ao cinema outro dia e levar conosco o balde de pipoca que já háviamos comprado, então descemos até a bilheteria e, como desgraça pouca é bobagem (ai que exageroooo), estava uma chuva torrencial (sem exagero).

Eu, de sandalinha rasteira, já apertei o braço do Renato como se ao ver toda aquela água fosse tomada por pânico repentino e disse: "Ok, "Déjà Vu", e subimos novamente a escadinha para a sala, sorrimos amarelo pro menininho da porta e entramos.

Ô óidio... antes tivesse me molhado para chegar ao carro, mas com a oportunidade de voltar ao cinema do que visto o raio do filme com Denzel Washington, que é ótimo e eu o adoro como bad boy em "Dia de Treinamento", entre outros Blockbusters.

O filme é maluco. Não maluco maluco, porque eu gosto de filmes malucos, mas é irreal demais para uma película de ação. Sabe aquele filme que tem uma ótima sinopse mas parece que não evolui? Então... déjà vu. Ele se explica, te desperta o interesse e se contradiz. Tudo isso em duas horinhas. Pouco tempo e muita viagem.

Para mim, o filme MUITO BOM tem que ser inteligente, emocionante, me fazer pensar em algo e me surpreender. Renato gostou. Ficou o tempo todo tenso e isso para ele já basta. Aliás, filme bom para ele tem que: 1- mantê-lo acordado, 2- ter cenas de ação e perseguição e/ou 3- fazê-lo dar algumas risadas. E os três fatores nem precisam estar juntos. Se ele fosse jurado do Oscar talvez os prêmios fossem mais justos! hahaha.

2 comentários:

Tabata Pitol disse...

O que explica o fato de Velozes e Furiosos ser o filme favorito dele...as vezes acho que erradas somos nós que ficamos esperando ver um filme realmente "bom", hahaha Mas ótimo q seu cineminha deu chabú, vamos os casais ver babel no finde? Diz que sim!! hehhee
beijos

Pretty Lady disse...

I read and speak a little, I can try to write but I am not sure how good I am, but I have been reading your blog and I undertood everything, Yay!!! I speak Spanish and English and my grandparents were Portuguese. Well, it was nice saying Hello