03 agosto, 2010

... cuidando do meu jardim

Preciso começar este post me redimindo, porque não consegui fotos com todo mundo a quem cito, então tive que caçar imagens nos Orkuts da vida, viu?

Os dias andaram meio difíceis: mudança, separação, trabalho meio estagnado, voltar pra casa da mãe, sair da casa da mãe, chororô, lembranças e outras mil coisas me deixaram meio ausente do mundo. Não queria ver nem estar com ninguém. Inclusive deixei de lado festinha de aniversário e tudo.

Porém no último final de semana resolvi que precisaver rever pessoas queridas que ha algum tempo não encontrava e mandei um email.

No domingão, então, o meu único de folga no mês saí à tarde pra tomar um suco com a Erika e à noite fui com o Le, a Meire e o casal Carolsixas a um restaurante mexicano delícia lá em Pinheiros.

Nada demais, tudo na mesma, mas se eu soubesse que estar perto de pessoas queridas e que lhe querem bem fosse me fazer tão bem eu teria enchido meu carro com amigos ao invés de caixas e me mudado de casa mais feliz.

Há coisas que somente o tempo pode curar, mas sentir o abraço quentinho dos amigos ao dizer oi e tchau não tem preço... mesmo! E dar risadas, contar hitórias (mesmo que elas sejam velhas e todo mundo já tenha ouvido), falar do trabalho, compartilhar o dia... tudo isso me fez um bem danado e voltei pra casa renovada e feliz, com planos de milhões de coisas novas na vida.

Então, por isso, pelo simples fato de me ouvirem, de me abraçarem e de darem risada comigo eu quero deixar registrado publicamente que vocês, queridos, são mega importantes na minha vida (e não é de agora, óbvio, mas isso ficou muito forte pra mim esta semana). Não posso ainda deixar de agradecer minha dinda, minha irmã, minha querida Tabata que mesmo passando por problemas foi lá chorar comigo quando eu precisei, e junto com o maridão Marcelo me ajudou a carregar caixas e móveis e me deram o ombro a cada dia que resolvi passar na casa deles. Daqui por diante, amiga, no more tears, I swear!!!

Óbvio que eles não são os únicos nesta empreitada. Há ainda muita gente dando força, falando palavras legais e oferecendo o coração, mas este domingo foi especial porque foi o primeiro em que resolvi sair de casa sem ser para trabalhar depois que tudo aconteceu, e por isso tudo teve um ar muito especial.

Abaixo, umas fotos roubadas e outras um tanto antigas que homenageiam de forma singela esses tão queridos amigos que me deram um up, sendo apenas eles mesmos nesta semana ;)

Meiroca, de cabelos vermelhos e Le, numa foto roubada do Orkut dela
Voltando do Playcenter, láááá em 2004 a Tabata, o Le (que estava dirigindo, by the way), o Marcelo Salcicha e eu
Meus afilhadinhos Marcelo e Tabata no dia do casamento deles
Leandro, Erika e Tabata no dia do casamento do Ademar (aloooong time ago)
E o casal fofo e apaixonadíssimo Carol e Marcelo


2 comentários:

Meire disse...

Ai q máximo este post! Concordo com tudo q vc disse! Amigos são tudo nesta vida! Adorei o encontro tb. Me diverti muito! bjoooo

Tabata Pitol disse...

Amiga, tomara, do fundo do coração e pelo seu bem (que é só isso que desejo) que as lágrimas realmente cessem. Mas se retornares, saiba que, seja para chorar junto, rir junto, dançar no vídeogame, pintar as unhas, encaixotar mudança, ou para ficar sentada no sofá estarei sempre ao seu lado viu?? E o Marcelo, do jeitão dele, meio sem saber como agir, tbm! Nós amamos vc, muito!